Alan García é o novo presidente do Peru

O candidato do Partido Aprista Peruano (PAP) Alan García ganhou as eleições peruanas realizadas neste domingo, segundo pesquisas de boca-de-urna e uma apuração rápida feita pelo Instituto Apoyo. De acordo com a contagem extra-oficial, o ex-presidente peruano obteve 52,7% dos votos.A pesquisa realizada pela Apoyo em mesas eleitorais de todo o país afirma que o nacionalista Ollanta Humala obteve 47,3% dos votos. O estudo tem uma margem de erro de 1%.Ainda de acordo com uma segunda contagem rápida, realizada pela organização civil Transparência, Alan García obteve 52,4% dos votos, contra os 47,6% obtidos por Humala. Os dados coincidem com outras pesquisas de boca-de-urna realizadas por três empresas privadas que apontam que Garcia obteve entre 52% e 55% dos votos. Com a confirmação destes resultados, Alan García, de 57 anos, retornará ao governo 21 anos depois de ter sido eleito o presidente mais jovem da América Latina, em 1985.Agora, García promete não cometer os mesmos erros de sua primeira gestão, que deixou o país afundado em uma grave crise econômica. De 1985 a 1990, época em que esteve na presidência, sua política econômica de estatizações fez a hiperinflação peruana passar de 7.500% ao ano. Durante a campanha para o primeiro turno, ele aparecia como um dos políticos com maior índice de rejeição entre a população.Pouco antes de depositar seu voto, García comentou que sua candidatura não representa "o mal menor", mas o "voto útil", referindo-se aos votos de seus inimigos políticos, que apesar da hesitação em votar nele, o escolheram para evitar a vitória do ex-militar nacionalista. Os votos de Lima, onde concentra-se um terço do eleitorado peruano, definiram o regresso de García ao poder, já que na capital o ex-presidente obteve 63% dos votos, contra 36% de Humala, segundo pesquisas da Apoyo e da Datum Internacional.Dos 16,4 milhões de peruanos que foram às urnas, 5,6 milhões não estavam em Lima, cidade que no primeiro turno apoiou a conservadora Lourdes Flores.No segundo turno, assim como no primeiro, Humala foi o mais votado em departamentos andinos empobrecidos e também nas regiões de selva, enquanto García obteve maioria no norte e no sul do país. ReaçõesNeste contexto, o candidato nacionalista a vice-presidência, Gonzalo García Núñez, alertou que as pesquisas de boca-de-urna apresentam uma margem de erro de até 5%, e explicou que Humala foi o mais votado na maioria das regiões.No entanto, o porta-voz de Humala, Carlos Tapia, adiantou que os nacionalistas respeitarão a decisão das urnas. Na primeira reação oficial do governo, o primeiro-ministro Pedro Pablo Kuczynski, celebrou o possível triunfo do ex-presidente e considerou que os peruanos votaram pela melhoria econômica. A líder conservadora peruana Lourdes Flores assinalou que reconhecerá o vencedor quando forem veiculados os resultados oficias e prometeu fazer oposição pois o Peru pode "construir oportunidades para todos".O Escritório Nacional de Processos Eleitorais (ONPE) divulgará neste domingo os primeiros resultados provisórios, quando os candidatos devem realizar suas primeiras declarações públicas.Resultados oficiaisConfrontado com os resultados extra-oficiais, Humala não aceitou a vitória de seu adversário. O líder nacionalista assegura que venceu na maioria dos departamentos (Estados) do país, e pediu a todas a forças nacionalistas, de esquerda, aos movimentos regionais e organizações sociais "que se unam na corrida histórica para iniciar a grande transformação nacional"."Quero expressar meu agradecimento ao povo peruano pela histórica vitória social e política neste processo eleitoral", disse Humala, ao enfatizar que a "esperança venceu o medo."Da varanda da sede de seu partido, a União Pelo Peru (UPP), e acompanhado por sua esposa, Nadine Heredia, Humala agradeceu o apoio de reservistas das Forças Armadas e forças policiais.Ele destacou que a UPP é a maior força política no Parlamento, pois conseguiu 45 dos 120 assentos que compõem o Congresso.Humala acrescentou que esperará "os resultados do Escritório Nacional de Processos Eleitorais" e convidou os peruanos a transformar um sonho em realidade: "construir uma sociedade mais democrática, mais igualitária, com justiça social".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.