Alan García pretende normalizar relações com a Venezuela

O presidente peruano, Alan García, deixou neste domingo aberta a possibilidade de normalizar as relações diplomáticas com a Venezuela, após sua recente reconciliação com o presidente venezuelano, Hugo Chávez, durante a 2ª Cúpula Sul-Americana de Nações."Como conseqüência deste fato ficamos com relações muito boas com o presidente Chávez, e se isso significa normalizar as relações entre nossos países e fortalecer a nossa amizade, tivemos uma grande conquista", afirmou García.O chefe de Estado peruano considerou que tudo que "aproxime e consolide a relação entre dois países é positivo", em alusão à eventual normalização dos laços com a Venezuela.Venezuela e Peru retiraram seus respectivos embaixadores por causa da crise diplomática motivada no final de abril por uma troca de insultos e ofensas entre García e Chávez, que na campanha eleitoral peruana apoiou abertamente Ollanta Humala, rival de García.O presidente peruano indicou que "as chancelarias peruana e venezuelana tomarão todas as provisões correspondentes para normalizar" as relações entre ambas as nações, após a aproximação ocorrida na sexta-feira na cidade boliviana de Cochabamba.Por sua parte, o presidente eleito do Equador, Rafael Correa, que visita Lima, disse que o fim das divergências entre os governantes do Peru e Venezuela significa "um momento de grande alegria" para a região.Em tom de piada, García comentou que "já não é privilégio somente do presidente Correa estar próximo ao presidente Chávez", após deixar aberta a possibilidade de normalizar as relações diplomáticas com a Venezuela, apesar de sua amizade com seu homólogo ter "só 24 horas".García também afirmou que ainda não pode pedir a Chávez que retorne à Comunidade Andina, que deixou em abril, em alusão à solicitação do líder boliviano, Evo Morales, que foi respaldada por Correa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.