Alarme indica vazamento de gás sarin nos EUA

O Exército dos Estados Unidos desativou seu incinerador de armas químicas no Alabama depois de um alarme ter indicado um possível vazamento de uma pequena quantidade de gás sarin, num importante prédio do complexo. Não há notícias sobre pessoas intoxicadas pelo letal agente nervoso. Nesta quinta-feira, o Exército americano informou que não existe ameaça a Anniston, uma comunidade próxima. Não se sabe quando as operações do incinerador serão retomadas.O incinerador estava destruindo mísseis com ogivas carregadas de gás sarin congelado ou cristalizado quando o alarme soou. O incidente foi registrado na tarde de ontem. Autoridades militares tentam determinar a fonte de agente químico que causou o alarme. O alarme indicou uma quantidade "mínima" do gás na área, informou o Exército por meio de um comunicado. O sarin é muito perigoso. Apenas uma gota já é capaz de matar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.