Alaui e Blair dizem trabalhar juntos para libertar reféns

O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Tony Blair, e o primeiro-ministro interino do Iraque, Ayad Alaui, disseram hoje que estão trabalhando no caso dos norte-americanos e do britânico seqüestrados pela resistência em Bagdá. "Estamos fazendo o melhor em relação à situação dos reféns e temos a esperança de alcançar alguns bons resultados", disse Alaui em uma coletiva de imprensa depois da reunião com Blair. "Nossos governos estão trabalhando em estreita colaboração", assegurou o britânico, que não quis dar mais detalhes sobre o assunto.Um grupo vinculado à rede terrorista Al-Quaeda já assumiu a responsabilidade pelo seqüestro dos norte-americanos Jack Hensley e Eugene Armstrong, e do britânico Kenneth Bigley, que trabalhavam na construção civil. Em um vídeo divulgado neste sábado, o grupo ameaçou decaptar os três reféns em 48 horas se não fossem libertadas as mulheres detidas em prisões iraquianas administradas pelos Estados Unidos.Outro seqüestroOutro seqüestro ocorrido no Iraque foi divulgado hoje. De acordo com um funcionário do ministério das relações exteriores, três libaneses que trabalhavam em uma agência de viagens e o motorista deles teriam sido capturados na sexta-feira, quando viajavam de Bagdá para a cidade de Faluja.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.