Albânia rechaça ser palco de destruição de armas sírias

O primeiro-ministro da Albânia, Edi Rama, rejeitou nesta sexta-feira um pedido dos Estados Unidos para sediar a destruição das armas químicas da Síria.

AE, Agência Estado

15 de novembro de 2013 | 15h17

Em pronunciamento televisionado, Rama disse ser "impossível para a Albânia tomar parte nessa operação".

A recusa albanesa ocorre em um momento no qual a Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) discute um plano para destruir o arsenal sírio, estimado em uma tonelada de agentes químicos como os gases mostarda e sarin. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Síriaarmas químicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.