Rodolfo Buhrer/Estadão
Rodolfo Buhrer/Estadão

Libertação de Lula repercute no exterior

Pelas redes sociais, líderes políticos mostraram solidariedade ao ex-presidente do Brasil; imprensa internacional repercute soltura do petista

Célia Froufe, O Estado de S.Paulo

08 de novembro de 2019 | 20h20

Líderes políticos de outros países celebraram a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, solto nesta sexta-feira, 8, um dia após a decisão do Supremo Tribunal Federal derrubar a possibilidade de prisão após condenação em segunda instância. 

 Pelo Twitter, o presidente da Argentina  Alberto Fernández e sua vice Cristina Kirchner elogiaram a coragem de Lula e falaram em perseguição política. 

O presidente Nicolás Maduro disse que "o povo venezuelano está feliz e saudou a liberdade do irmão Lula". 

E o pré-candidato à presidência dos Estados Unidos, Bernie Sanders também comemorou no Twitter a liberdade do petista. "Eu fico satisfeito que ele tenha sido liberado da prisão, que nunca deveria ter acontecido”, escreveu Sanders em sua conta no Twitter. 

A imprensa internacional repercutiu a soltura de Lula, quase todos dando ênfase ao fato de que a decisão do Supremo Tribunal Federal abre as portas para a libertação de quase 5 mil detidos, incluindo 15 condenados pela Operação Lava Jato

 

Imprensa internacional repercute

A imprensa europeia, que já tinha noticiado desde a madrugada a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de derrubar a prisão em segunda instância, agora dá destaque à liberação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT. Praticamente todos os veículos dão ênfase ao fato de que a decisão da Suprema Corte também abre as portas para a libertação de quase 5 mil detidos, incluindo 15 condenados pela Operação Lava Jato, que envolveu políticos e alguns dos empresários mais poderosos do País.

Na página principal do jornal britânico The Guardian se lê que Lula foi libertado da prisão, onde cumpria uma sentença de corrupção de 12 anos, após uma decisão da Suprema Corte que "encantou seus apoiadores e deixou os seguidores do presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro enfurecidos". "Lula foi recebido nesta sexta-feira por apoiadores delirantes do lado de fora da sede da polícia federal na cidade de Curitiba, onde ficou preso por 580 dias", disse o diário.

Uma foto de Lula com o título: "Brasil: Lula está fora da prisão" é a principal notícia do site do jornal francês Le Figaro. "O carismático líder da esquerda brasileira de 74 anos esperou 580 dias para abrir a porta de sua cela na noite desta sexta-feira na sede da Polícia Federal em Curitiba, no sul do Brasil", relata o periódico, lembrando que ele está a 1,4 mil quilômetros de distância de Brasília, onde a decisão do STF foi tomada.

No também francês Le Monde, a notícia está com um destaque de "alerta" escrito em vermelho. "Justiça brasileira autoriza libertação do ex-presidente Lula", avisa, citando novamente que se tratou de um julgamento "controverso", fruto da Operação Lava Jato. O jornal informa que Lula foi acusado de ter desfrutado de um triplex no balneário do Guarujá, perto de São Paulo, em troca de contratos concedidos a uma construtora.

No português Diário de Notícias, não só se trata da notícia principal, como acrescenta que, aguardado por milhares de apoiadores, Lula fará um tour pelo Brasil. "Recebeu o primeiro abraço da filha mais velha. Lurian, depois da noiva, Rosângela, de netos, e de Fernando HaddadGleisi Hoffmann e outros dirigentes do Partido dos Trabalhadores (PT). E em seguida discursou", descreveu a publicação. "O lado podre da política federal, da receita federal, do ministério público federal tentaram criminalizar a esquerda brasileira", começou por dizer sob gritos de "Lula eu te amo".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.