Alcoolismo cresce entre mulheres e crianças de Darfur

O conflito, a fome e a miséria estão criando um novo fenômeno entre mulheres e crianças na região sudanesa de Darfur: o alcoolismo. O alerta foi dado por equipes de organizações não-governamentais e instituições de caridade que atuam no Sudão, país onde o consumo de álcool é proibido. Membros da ONG Médicos Sem Fronteiras contam que mulheres, muitas delas estupradas por soldados ou rebeldes, chegam às clínicas provisórias da entidade em completo estado de embriaguez.Elas justificam o consumo dizendo que essa é a única forma de esquecer as atrocidades da guerra. O mais preocupante, de acordo com funcionários da ONG, é que essas mulheres usam álcool artesanal para alimentar crianças. O objetivo é parar o choro dos filhos, muitos há dias sem comer. O hábito é tão freqüente que várias crianças, muitas com menos de dois anos, chegam aos ambulatórios já dependentes de álcool.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.