David Mdzinarishvili / Reuters
David Mdzinarishvili / Reuters

Além de Francisco Franco, veja outros líderes exumados ao longo da história

Stalin foi enterrado no mausoléu de Lenin, mas depois de oito anos seus restos mortais foram transferidos para um local mais modesto

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de outubro de 2019 | 11h09

PARIS - O governo espanhol exumou nesta quinta-feira, 24, os restos mortais do ditador Francisco Franco do mausoléu onde foi enterrado em 1975. Apesar de incomum, não é a primeira vez que a operação - considerada polêmica - acontece com um personagem histórico. Veja abaixo outros líderes que foram exumados.

Josef Stalin

Quando morreu, em 1953, o líder da União Soviética foi enterrado no mausoléu de Lenin, em Moscou. Oito anos depois, os restos mortais de Stalin foram transferidos para uma cripta mais modesta perto do Kremlin, um marco na desestalinização. A tumba dele segue sendo um lugar de peregrinação para muitos nostálgicos.

Nicolae Ceausescu

Após manifestações reprimidas a sangue e fogo, o ditador romeno e sua mulher, Elena, foram detidos, submetidos a julgamento e fuzilados no dia 25 de dezembro de 1989 em um quartel ao norte de Bucareste. Ante o temor de que suas tumbas fossem profanadas, eles foram enterrados durante a noite depois de sua execução embaixo de cruzes com nomes falsos. Nos últimos anos, houve um aumento da nostalgia com relação ao comunismo na Romênia, alimentada pela decepção com a classe política. Em janeiro de 2018, muitos admiradores de Ceausescu visitaram sua cripta de mármore vermelho, localizada no cemitério de Ghencea, em Bucareste, em razão do centenário de seu nascimento.

Enver Hoxha

Quando morreu, em 1985, Enver Hoxha - que comandou a Albânia com mão de ferro durante 40 anos - foi enterrado no Cemitério dos Mártires em Tirana. Em 1992, após a queda do comunismo, seus restos mortais foram exumados e enviados a um cemitério público nas proximidades da capital do país. Inicialmente, foi construído um mausoléu em forma de pirâmide no centro de Tirana, mas ele nunca chegou a ser ocupado e hoje está em ruínas, depois de ter servido durante anos como centro cultural.

Muamar Kadafi

Assassinado durante a revolução na Líbia em outubro de 2011, o líder foi enterrado em um local secreto do deserto depois de uma cerimônia religiosa. “Uma decisão destinada a evitar que algumas pessoas pró-Kadafi façam peregrinações à tumba dele”, explicou na ocasião um oficial líbio. “Farão como com Adolf Hitler”, disse ele, em alusão ao ditador nazista, cujo corpo foi levado a um lugar desconhecido depois que este se suicidou em Berlim, em 1945.

Sadam Hussein

Sadam Hussein, que governou o Iraque a partir de 1979, foi detido em 2003 por soldados americanos. Ficou preso em Bagdá até o dia 30 de dezembro de 2006, quando foi executado, acusado de crimes contra a humanidade. O corpo dele está enterrado no mausoléu que foi construído em sua terra natal, Auja. O local costuma ser visitado por parentes e simpatizantes, mas em 2014 foi destruído em circunstâncias misteriosas. Há quem defenda que foi destruído pela Força Aérea iraquiana. Outros afirmam que foi com dinamite. Não se sabe se o corpo está sobre as ruínas do mausoléu ou se foi transferido para outro lugar antes ou mesmo depois da destruição, como apontam os rumores.

Halie Selassie

Os restos mortais do último imperador da Etiópia, cuja morte em 1975 é envolta em mistérios, foram descobertos em fevereiro de 1992 e exumados de uma cova em Adis-Abeba, onde haviam sido depositados pelos líderes da revolução de 1974. Em novembro de 2000, o imperador foi enterrado na presença da família imperial.

Rudolf Hess

Os restos mortais do ex-mão direita de Hitler, morto na prisão em 1987, foram exumados secretamente no dia 21 de julho de 2011 e sua cripta na Baviera foi destruída para colocar fim às homenagens neonazistas realizadas todos os anos. Os restos mortais foram incinerados e as cinzas foram lançadas ao mar. / AFP

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.