Alemães lembram chacina com minuto de silêncio

Os alemães da pequena cidade de Erfurt fizeram hoje um minuto de silêncio para lembrar as 17 pessoas que morreram no massacre ocorrido na última sexta-feira na escola ginasial Johann Gutenberg, quando um ex-aluno invadiu o local.As aulas foram suspensas na cidade de Erfurt, capital do Estado da Turíngia, no leste do país. Um cartaz pendurado na frente da prefeitura resumia o estado de ânimo da cidade: segunda-feira não pode ser um dia escolar normal.Crianças acompanhadas de seus pais, estudantes secundaristas e professores caminhavam abraçados e de mãos dadas em direção à prefeitura, onde seriam recebidos por terapeutas. Muitos jovens presenciaram o assassinato de seus professores e cerca de 200 dos 750 alunos ficaram trancados na escola por duas horas esperando a polícia liberar o local.Moradores da região carregando flores se uniram ao grupo. Na última sexta-feira, o ex-aluno da instituição, Robert Steinhaeuser, de 19 anos, entrou no colégio secundarista com uma pistola de 9 mm e matou 13 professores, dois estudantes e um policial, se matando em seguida.Às 11h05, horário em que a polícia de Erfurt recebeu o chamado notificando a chacina, alemães nas salas de aula e em prédios públicos de todo o país permaneceram em silêncio para homenagear as vítimas do ataque.Policiais continuam vigiando a escola e uma montanha de flores não pára de crescer e já cobre metade do pátio em frente ao prédio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.