Alemanha abre escritório em reduto dos rebeldes líbios

O ministro de Relações Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle, informou que o país abriu um escritório em Benghazi, reduto dos rebeldes líbios, para melhorar suas relações com a oposição, que combate o líder Muamar Kadafi. Westerwelle disse hoje que um diplomata experiente já está trabalhando na cidade líbia. O anúncio foi feito um dia depois de a União Europeia (UE) ter estabelecido contatos diplomáticos formais com a oposição líbia ao abrir um escritório em Benghazi.

AE, Agência Estado

23 de maio de 2011 | 12h45

A maior parte dos países da UE congelou suas relações com o governo de Kadafi e retirou seus diplomatas do país. A Hungria, que está na presidência rotativa do bloco, é o único país membro da UE que ainda mantém uma missão diplomática em Trípoli. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
LíbiaataquesAlemanhaescritório

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.