Alemanha acusa executivos de desvio de fundos

A promotoria de Dusseldorf na Alemanha entrou com acusação contra o ex-CEO da Mannesmann AG, Klaus Esser, e cinco outras pessoas, inclusive o executivo-chefe do Deutsche Bank, Josef Ackermann, e Klaus Zwickel, presidente do sindicato de trabalhadores IG Metall, segundo informações da agência de notícias VWD, citando o promotor-chefe Hans-Reinhard Henke. A acusação envolve o desvio de fundos associados com um total de sete pagamentos realizados durante a aquisição da Mannesmann AG pela britânica Vodafone PLC, três anos atrás, disse o promotor. O CEO do Deutsche Bank era membro do conselho de supervisão da Mannesmann, naquela época. De acordo com a acusação, as pessoas envolvidas fizeram pagamento de bônus e de indenização trabalhista utilizando o dinheiro da Mannesmann. Klaus Esser, ex-CEO da Mannesmann, que inicialmente rejeitava a oferta da Vodafone, recebeu um total de 60 milhões de marcos alemães (US$ 33,1 milhões) quando concordou em vender a companhia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.