Alemanha assume UE ampliada com Bulgária e Romênia

No mesmo dia em que Bulgária e Romênia se juntaram à União Européia (UE), a Alemanha assumiu a presidência semestral do bloco. Durante o mandato, o país deve centrar esforços em prol da reativação do processo de paz no Oriente Médio, na reaproximação com a Rússia e, principalmente, na aprovação da Constituição Européia. "A Europa precisa de um tratado constitucional se quer conservar sua capacidade de ação", afirmou a chanceler (chefe de governo) alemã, Angela Merkel. "Queremos dar nossa contribuição e levar a cabo intensas reuniões com nossos sócios europeus." Em uma saudação de ano-novo transmitida pela TV de seu país, Angela disse que "apenas uma Europa unida pode enfrentar os desafios da globalização, como o comércio internacional, a violência, o terror e a guerra". Uma Europa dividida está fadada ao fracasso."A chanceler ressaltou que, ao final da presidência alemã, "teremos de dispor de uma rota que indicará como se pode concretizar de verdade um tratado constitucional europeu". A constituição entrou numa espécie de limbo político depois que as populações da França e da Holanda a rejeitaram, em referendos realizados em 2004.Angela também acredita que a UE está em dívida com os cidadãos e precisa oferecer a eles alguma perspectiva. "Muita gente se pergunta se a Europa nos traz mais segurança e bem-estar, se não há muita burocracia. Nos esforçaremos em dar uma resposta a essas questões", garantiu. Com esse objetivo, o governo alemão preparou uma viagem de caráter informativo a 52 cidades do país. As visitas começam amanhã.No dia 25 de março, a Alemanha será anfitriã de um encontro de presidentes europeus que vai comemorar o 50º aniversário do Tratado de Roma, que marcou o nascimento da Europa Unida (ali se instituiu a Comunidade Econômica Européia, que, mais tarde, tornou-se a UE como se conhece atualmente).Na quinta-feira, Angela viajará aos Estados Unidos, onde se encontrará com o presidente George W. Bush. O principal objetivo do encontro será conseguir o apoio do colega americano a seu projeto de revitalizar o processo de paz no Oriente Médio. Além disso, Merkel quer explicar a Bush o que pretende fazer à frente do G-8, o grupo dos países mais ricos do planeta. A Alemanha assumiu a presidência da entidade. O mandato é anual. A última vez em que a Alemanha esteve à frente da União Européia e do G-8 foi em 1999, antes, portanto, de a Rússia ter um dos assentos do grupo dos países mais industrializados (à época, ainda era o G-7).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.