AP Photo/Michael Sohn
AP Photo/Michael Sohn

Alemanha bane grupo que defendia restabelecimento de 'Estado nazista'

Operação policial realizada nesta terça, 1º, cumpriu mandados nas residências de integrantes do grupo em três Estados do país

Redação, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2020 | 07h59

A Alemanha decretou o banimento do grupo neonazista Sturmbrigade 44, acusado de promover atentados terroristas e defender o restabelecimento de um Estado nazista no País.

Nesta terça-feira, 1º, a polícia alemã cumpriu mandados em três Estados, na casa de 13 integrantes do grupo, também conhecido como Wolfsbrigade 44. A operação tinha como objetivo confiscar os fundos do grupo e material de propaganda de extrema direita.

De acordo com o ministro do Interior alemão, Horst Seehofer, o grupo semeava o ódio e promovia o racismo e uma "ideologia inumana", além de defender a volta de um regime hitlerista.

"Quem quer que lute contra os valores básicos de nossa sociedade livre sentirá a reação resoluta de nosso governo", disse o ministro. 

O objetivo do grupo é restabelecer a ditadura nazista, segundo autoridades de segurança. O 44 em seu nome representa a quarta letra do alfabeto, DD, e é uma abreviatura de Divisão Dirlewanger. Oskar Dirlewanger era um conhecido criminoso de guerra nazista e comandante de uma unidade especial da SS nazista.

O grupo de extrema direita foi fundado em 2016. É conhecido por possuir armas ilegais e seus membros participaram de protestos de extrema direita.

A Alemanha ainda enfrenta problemas com grupos de extrema-direita. Em novembro do ano passado, fiscais federais prenderam 12 pessoas suspeitas de conspirar para cometer ataques terroristas contra políticos, solicitantes de asilo e muçulmanos. Em fevereiro, um homem partidário de teorias racistas e antissemitas matou dez pessoas de origem estrangeira./ AP e AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.