Alemanha concede empréstimo a rebeldes líbios

O governo alemão informou hoje que está emprestando à liderança rebelde da Líbia 100 milhões de euros (US$ 144 milhões) para ajudar na reconstrução do país e com as necessidades humanitárias.

AE-AP, Agência Estado

24 de julho de 2011 | 09h26

O Ministério de Relações Exteriores da Alemanha anunciou a concessão do empréstimo urgentemente necessário, já que os ativos congelados relacionados a Muamar Kadafi ainda não puderam ser liberados.

A situação na Líbia é difícil por causa da falta de financiamentos "para construir as estruturas necessárias e superar a escassez de abastecimento - de alimentos a cuidados médicos", afirmou Guido Westerwelle, ministro de Relações Exteriores. "Particularmente no leste da Líbia, as pessoas estão sofrendo mais e mais com isso."

Os recursos serão devolvidos, assim que o Conselho de Segurança da ONU liberar os ativos congelados de Kadafi ao novo governo líbio, segundo Westerwelle. A Alemanha não participa dos ataques aéreos da Organização do Tratado do Atlântico Norte contra as forças armadas da Líbia.

Contudo, o governo alemão pediu a saída de Kadafi, e Westerwelle anunciou durante uma visita no mês passado ao reduto rebelde de Benghazi que a Alemanha reconhecia o Conselho Nacional de Transição como legítimos representante da Líbia. As informações são da AP.

Tudo o que sabemos sobre:
ALemanhaempréstimoLíbia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.