Alemanha continuará a receber imigrantes, apesar da oposição, diz porta-voz

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, não vai suspender a política de porta aberta aos imigrantes, apesar de uma recente decisão do Ministério do Interior que poderia forçar milhares de refugiados sírios a deixar o país, disse nesta quarta-feira Christiane Wirtz, vice-porta-voz do governo.

Estadão Conteúdo

11 de novembro de 2015 | 15h16

Os comentários vieram depois que o Ministério do Interior decidiu na terça-feira reaplicar as regras da União Europeia (UE), conhecidas como regras de Dublin III, o que exige que as pessoas registrem os seus pedidos de asilo no primeiro país da UE que pisar.

"Isto não tem nada a ver com a alteração de qualquer forma o rumo político [da chanceler] ou da cultura de boas-vindas", disse Christiane Wirtz.

Em agosto, a Alemanha suspendeu as regras Dublin III para refugiados sírios e permitiu-lhes permanecer no país, independentemente de onde eles entraram pela primeira vez no bloco.

Autoridades dizem que a suspensão destas regras estimulou o afluxo de milhares de imigrantes para a Alemanha nos últimos dois meses.

A política de portas abertas de Merkel em relação aos refugiados tem estimulado desacordo dentro de seu próprio partido conservador, com algumas autoridades alertando que a Alemanha não pode lidar com a onda de imigrantes que vêm para a Alemanha neste ano. Previsões de Berlim apontam que cerca de 800 mil pessoas irão procurar asilo neste ano, com algumas autoridades dizendo que o número pode subir para 1 milhão. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
Alemanhaimigrantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.