Alemanha critica impeachment do presidente romeno

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, advertiu a Romênia para as "consequências" que seguirão o processo de impeachment do presidente Traian Basescu. Na sexta-feira, o Parlamento romeno votou, com ampla maioria, pelo impeachment, o que o porta-voz de Merkel, Steffen Seibert, classificou como "inaceitável", adicionando que durante uma conversa por telefone com Basescu, "as preocupações do governo federal foram confirmadas".

AE, Agência Estado

09 de julho de 2012 | 13h53

O primeiro-ministro da Romênia, Victor Ponta, cujo partido lidera o movimento contra Basescu, disse que cabe ao povo, e não Merkel, decidir se o presidente deve permanecer no cargo, quando o assunto for votado em referendo no final do mês.

"A chanceler acredita que é inaceitável quando um país da União Europeia infringe os princípios fundamentais do Estado de Direito", disse Seibert. "A União Europeia é baseada em valores comuns que devem ser seguidos por todos os governos, incluindo o da Romênia". A Alemanha afirmou na sexta-feira que os acontecimentos em Bucareste podem prejudicar a tentativa da Romênia de tornar-se membro efetivo da zona Schengen, área de livre circulação de pessoas na Europa.

Ponta defende a decisão do Parlamento: "Não é Merkel que vai votar no referendo de 29 de julho (..), eu não acredito que alguém na Europa conteste uma votação democrática da população." As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
RÔMENIAALEMANHAIMPEACHMENT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.