Alemanha defende liberdade para migrar a trabalho na UE

O porta-voz da chanceler Angela Merkel afirmou nesta segunda-feira que a Alemanha quer que o Reino Unido permaneça um membro "ativo e comprometido" com a União Europeia, mas insiste que o princípio de livre migração de trabalhadores no bloco é inegociável.

Estadão Conteúdo

03 de novembro de 2014 | 10h57

O representante da líder alemã, Steffen Sibert, disse que o governo não está considerando cenários hipotéticos e compartilha do interesse britânico de lutar contra um "possível abuso" nas migrações de trabalho. Contudo, Merkel acredita que o princípio que permite a liberdade de migração em si não deve ser questionado.

Segundo o jornal Der Spiegel publicou neste domingo, sem identificar suas fontes, autoridades alemãs podem considerar reduzir seus esforços em manter o Reino Unido na União Europeia caso David Cameron insista nos limites de movimentação.

O primeiro-ministro britânico tomou essa posição após sofrer pressão política com o crescimento do partido Ukip em seu país, que é contrário à permanência no bloco. Por isso, Cameron pretende tomar ações para limitar o nível de migrações da União Europeia para o Reino Unido. Fonte: Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.