Alemanha entra em alerta com possível ataque terrorista

O ministro do Interior da Alemanha, Wolfgang Schaueble, disse, em entrevista à revista Bild am Sonntag, que o governo do país está em alerta contra a possibilidade de ataques da organização terrorista Al-Qaeda nos próximos meses. "Estamos levando a ameaça seriamente. Não vamos ficar intimidados e a Alemanha não vai ceder a chantagens", afirmou. A Alemanha se prepara para eleições gerais, marcadas para setembro.Já o chefe do Escritório de Proteção à Constituição da Alemanha, Heinz Fromm, disse, em entrevista ao jornal Hamburger Abdenblatt, que o risco de um atentado terrorista da Al-Qaeda no país é "muito alto". Fromm lembrou que vídeos colocados na internet recentemente por extremistas islâmicos indicam que "ataques contra nosso país estão sendo preparados". Ele exortou os muçulmanos residentes na Alemanha a colaborarem com as autoridades para que os suspeitos sejam encontrados.Outro alto funcionário do governo alemão, Jörg Ziecke, chefe da Polícia Criminal, em entrevista à revista Focus, afirmou que "as mais recentes mensagens em vídeo mostram claramente que a Alemanha e os interesses alemães estão sob ameaça". Para ele, jovens alemães convertidos ao islamismo e radicalizados estariam entre os principais suspeitos. "Eles conhecem a sociedade alemã, estão bem integrados e se movimentam sem ser notados." Ziecke lembrou que extremistas muçulmanos lançaram ataques terroristas em Madri pouco antes das eleições espanholas de 2004, aparentemente para pressionar a Espanha a retirar suas tropas do Iraque. Na semana passada, uma mensagem da União da Jihad Islâmica em várias ínguas, entre elas o alemão, foram disponibilizadas na internet prometendo "surpresas para as forças de ocupação", aparentemente referindo-se à presença de tropas estrangeiras, inclusive alemãs, no Afeganistão.AfeganistãoEm outro vídeo na internet, um homem identificado como Bekkay Harrach, nascido no Marrocos, mas que residiu durante vários anos na cidade alemã de Bonn, diz que "o tempo está se esgotando para a Alemanha". Dos cerca de 50 mil soldados mantidos pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, 3.300 são alemães. No ano passado, o governo da Alemanha decidiu que vai ampliar seu contingente no Afeganistão para 4.500 soldados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.