Geert Vanden Wijngaert/AP
Geert Vanden Wijngaert/AP

Alemanha está em guerra contra o Estado Islâmico e não contra o Islã, diz Merkel

Chanceler lamentou sentimento de insegurança no país provocado pelos atentados e ressaltou que quer restaurar a confiança dos cidadãos

O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2016 | 13h53

BERLIM - A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou nesta quinta-feira, 28, que o país está "em guerra contra o Estado Islâmico (EI)", algo que considerou "indiscutível", mas deixou claro que não está "em nenhuma guerra contra o Islã".

Em entrevista coletiva após os últimos atentados registrados no país, Merkel lembrou que a Alemanha participa da coalizão internacional que luta contra a organização jihadista na Síria e no Iraque com aviões que realizam trabalhos de reconhecimento e fornecimento em voos, e descartou ampliar seu compromisso no momento.

A chanceler considerou que os últimos atentados em Würzburg e Ansbach mostram que o terrorismo islâmico chegou à Alemanha, e insistiu que o objetivo dele é atacar as sociedades abertas e seus valores de liberdade e solidariedade.

Merkel lamentou a "insegurança generalizada" provocada pelos atentados protagonizados por refugiados, e ressaltou que a responsabilidade do Estado é restaurar a confiança dos cidadãos. Ela voltou a defender a política de amparo aos que fogem da guerra e da perseguição, e garantiu que as medidas de segurança serão reforçadas.

A chanceler apresentou um plano de nove pontos - com muitas medidas que já estão em andamento - que inclui, por exemplo, facilitar as expulsões de estrangeiros sem direito a asilo ou de refugiados que sejam delinquentes, e envolver o Exército nos casos de alerta terrorista. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.