Daniel Bockwoldt / dpa / AFP
Daniel Bockwoldt / dpa / AFP

Alemanha extradita 1º condenado pelo ataque de 11/9 após saída da prisão

Motassadeq foi condenado em 2004 a 15 anos de prisão por filiação a uma organização terrorista e cumplicidade em 246 assassinatos

O Estado de S.Paulo

15 Outubro 2018 | 15h13

BERLIM - O marroquino Mounir el Motassadeq, o primeiro condenado no mundo pelos atentados de 11 de setembro de 2001 nos Estados Unidos, saiu da prisão na cidade de Hamburgo, onde cumpria pena, e foi extraditado nesta segunda-feira, 15, para o Marrocos em um voo regular, informou a imprensa alemã.

Ele partiu ao meio-dia (horário local, 7h em Brasília) no helicóptero da Polícia de Hamburgo para Frankfurt, de onde partiria em um voo regular da companhia Royal Air Maroc para Casablanca acompanhado de policiais, de acordo com a revista Spiegel. Conforme a lista de passageiros da empresa, Motasadeq, de 44 anos, ocupou o assento do meio na fila 32.

As autoridades de Rabat pediram que Motasadeq fosse levado em um voo regular e não em um charter, segundo a revista. Ainda não está claro se a mulher dele, de origem russa e com quem tem dois filhos, também irá ao Marrocos.

Em 2014, o Supremo Tribunal alemão negou sua libertação antecipada, por considerar que ele continuava sendo um perigo.

Motassadeq foi condenado em 2004 a 15 anos de prisão por filiação a uma organização terrorista e cumplicidade em 246 assassinatos. Ele tinha apoiado a célula em Hamburgo do egípcio Mohammed Atta, o terrorista que pilotou o avião que atingiu uma das Torres Gêmeas, em Nova York. Ele sempre negou ter feito parte do plano dos ataques 11 de setembro.

De acordo com documentos oficiais, o marroquino foi um preso exemplar e fazia parte do time de futebol da penitenciária.

Com a extradição, Motassadeq, que não poderá pisar em território alemão até 3 de abril de 2064, deixa a prisão três meses antes do previsto, já que a condenação integral terminaria em 19 de janeiro de 2019. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.