EFE
EFE

Alemanha, França e Rússia discutem crise ucraniana em Berlim

Para Berlim, é necessário que Rússia e Ucrânia reduzam suas diferenças para que uma nova cúpula de líderes aconteça

O Estado de S. Paulo

12 de janeiro de 2015 | 16h45

Ministros das Relações Exteriores da Alemanha, França, Rússia e Ucrânia se encontram nesta segunda-feira, em Berlim, para discutir uma solução diplomática para a crise ucraniana, que se arrasta desde meados do ano passado.

A reunião foi convocada pelo ministro alemão Frank-Walter Steinmeier, após semanas de conversas paralelas que incluíram uma reunião entre Alemanha, França e Ucrânia em Paris. Steinmeier, entretanto, afirmou não saber se as conversas iriam resultar no "progresso necessário" para a crise ucraniana. "Precisamos tentar encontrar uma solução política novamente", ele disse antes de entrar na reunião.

Steinmeier e a chanceler Angela Merkel, que conversou por telefone com o presidente Putin, pressionam os dois lados a implementar um acordo de paz acordado em setembro, mas nunca respeitado. Para Berlim, é necessário que Rússia e Ucrânia reduzam suas diferenças para que uma nova cúpula de líderes aconteça.

Na segunda-feira, o Kremlin também declarou que as perspectivas de uma nova cúpula dependem das conversas em Berlim. No entanto, os dois lados permanecem bastante distantes de uma solução política. A Ucrânia e os rebeldes pró-Rússia continuam a se enfrentar na fronteira, e as escaramuças tem aumentado nos últimos dias.

Serguei Lavrov, ministro de Relações Exteriores russo, alertou os ucranianos para não tentarem acabar com a rebelião usando a força. Segundo Lavrov, seu país espera que o Ocidente demova os ucranianos de lançar uma outra ofensiva, "o que será uma catástrofe." / AP

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaRússiaUcrâniacrise

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.