Alemanha homenageia dissidentes que tentaram matar Hitler

O principal bispo protestante da Alemanha homenageou neste domingo os militares dissidentes que tentaram assassinar Adolf Hitler em um fracassado golpe de Estado promovido há 60 anos, qualificando-os como "um exemplo para a nação". O sermão fez parte dos eventos organizados para homenagear o coronel Claus Graf Schenk von Stauffenberg e outros soldados executados em Berlim depois que o ditador nazista sobreviveu a um atentado à bomba orquestrado por Stauffenberg em 20 de julho de 1944."Nossa sociedade e nossa Igreja lutaram durante muito tempo para honrar os planos e a audácia" da resistência ao nazismo, declarou o bispo luterano Wolfgang Huber na Catedral de Berlim. "Aqueles que sacrificaram suas vidas naqueles dias não morreram em vão. Seu exemplo segue vivo ainda hoje", afirmou. Na terça-feira, o chanceler Gerhard Schroeder presidirá as cerimônias oficiais para comemorar a mais famosa tentativa de assassinato de Hitler.

Agencia Estado,

18 de julho de 2004 | 17h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.