Alemanha mantém oposição ao ataque ao Iraque

A oposição da Alemanha à uma ação militar contra o Iraque permanece inalterada depois que o Congresso dos EUA autorizou o presidente norte-americano, George W. Bush, a usar a força para enfrentar Saddam Hussein, afirmou o ministro alemão das Relações Exteriores, Joschka Fischer."Nossa posição é clara e inequívoca", disse Fischer, depois de se encontrar com o chefe de política externa da União Européia, Javier Solana. "O chanceler e eu tomamos essa decisão antes das eleições, e ela continua válida."A administração Bush se enfureceu com a firme oposição do chanceler Gerhard Schroeder em relação a um ataque militar dos EUA contra o Iraque. Acredita-se que a posição de Schroeder tenha contribuído para que os sociais-democratas vencessem as eleições no dia 22 de setembro. A raiva da Casa Branca atingiu o ápice quando a ministra da Justiça de Schroeder comparou Bush a Adolf Hitler, dizendo que ele estava usando a tática de usar a guerra para desviar a atenção da população dos problemas internos. O nome dela não está sendo considerado para o novo gabinete de governo.Bush não mandou as congratulações de praxe quando o chanceler foi reeleito e, enquanto o secretário de Estado dos EUA, Colin Powell, e o ministro Fischer discutiram vários planos para uma visita deste último a Washington, ainda não foi marcada uma data.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.