Alemanha manterá tropas extras no Afeganistão após eleições

Ministro da Defesa alemão disse que prosseguirá com o esforço para formação de forças de segurança afegãs

Efe,

20 de agosto de 2009 | 05h18

O Exército da Alemanha não reduzirá suas tropas após as eleições presidenciais desta quinta-feira, 20, no Afeganistão e manterá seu contingente do jeito que está, anunciou o ministro da Defesa alemão, Franz Josef Jung. "Manteremos o elevado número. Precisamos disso, também diante de nossa crítica situação em Kunduz, onde enfrentamos um forte desafio em matéria de segurança", disse Jung em declarações ao canal de TV público ARD, e lembrou que o contingente alemão tem um limite máximo de 4.500 homens.

 

Após assinalar que a Alemanha seguirá concentrando seus esforços na formação das forças de segurança afegãs, o ministro da Defesa expressou sua esperança de que a situação se estabilizará após as eleições. "Devemos nos preocupar para que o Afeganistão possa assumir sua própria segurança", insistiu o ministro, que cifrou em 134 mil o número de soldados, assim como de policiais, para cumprir esse trabalho.

 

Franz Josef Jung ressaltou que seriam necessários cinco a dez anos para que o Afeganistão consiga esse objetivo, uma vez que, segundo seus cálculos, não se formaram ainda mais que 90 mil homens soldados, enquanto o número de policiais é muito inferior.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãosegurança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.