Alemanha pede à Rússia sinal que não anexará outra área

O ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, pediu à Rússia nesta quarta-feira que deixe claro que não buscará anexar qualquer território além da Crimeia, em meio às preocupações da Europa de que a Rússia tentará movimentos rumo ao leste da Ucrânia ou a outros países que faziam parte da antiga União Soviética.

AE, Agência Estado

19 de março de 2014 | 17h09

"A Rússia tem agora grande responsabilidade", disse Steinmeier em um discurso à noite (horário local) para uma organização que busca promover as relações entre Alemanha e Rússia. "Deve ser demonstrado claramente que a Rússia não perseguirá nenhum outro interesses territorial além da Crimeia." Steinmeier argumentou que o discurso do presidente da Rússia, Vladimir Putin, na terça-feira não deixou suficiente claro se o país buscaria anexar novos territórios.

Ele apontou que a Rússia poderia enviar esse sinal ao concordar imediatamente com o envio de uma missão da Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) à Ucrânia. Conforme o ministro, essa missão seria necessária já nas próximas 24 horas.

Enquanto isso, o governo alemão suspendeu um acordo de uma empresa do país para entrega de um simulador de exercícios de campo para as Forças Armadas russas. O Ministério da Economia alemão disse em nota na quarta-feira que a exportação da Rheinmetall "não se justifica na atual situação". Segundo o órgão, a empresa de autopeças e equipamentos de defesa irá informar autoridades sobre os prazos de embarques programados para a Rússia para que o governo alemão tome "as medidas necessárias". Fonte: Associated Press e Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.