Alemanha quer saída de oficial de inteligência dos EUA

A Alemanha instruiu o principal oficial de inteligência da embaixada dos Estado Unidos em Berlim a deixar o país, informou o porta-voz do governo alemão nesta quinta-feira. "O representante das agências de inteligência norte-americana na Embaixada dos Estados Unidos da América foi instruído a sair da Alemanha, declarou Steffen Seibert em comunicado.

Agência Estado

10 de julho de 2014 | 11h14

Segundo ele, a medida foi tomada em meio às investigações de espionagem realizadas pela promotoria federal alemã, assim como os meses de controvérsias sobre atividades de agências de inteligência dos Estados Unidos na Alemanha.

"Continua a ser essencial para a Alemanha trabalhar de perto e com confiança com parceiros ocidentais, especialmente com os Estados Unidos, para a segurança de suas forças e de seus cidadãos no exterior", afirmou Seibert. "Mas confiança e franqueza são necessários dos dois lados para que isso aconteça."

A revelação feita no ano passado de que a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês) realizou ações de vigilância na Alemanha, o que incluiu o monitoramento do telefone celular da chanceler Angela Merkel, provocou irritação na Alemanha. Os laços entre os dois países foram prejudicados novamente na última semana, quando surgiram dois casos de funcionários do governo alemão suspeitos de trabalhar para agências de inteligência estrangeiras.

Fonte: Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.