Alemanha quer sanções mais duras contra Irã

O ministro de Relações Exteriores da Alemanha, Guido Westerwelle, defendeu que a União Europeia adote sanções ainda mais duras em relação ao Irã para inibir a construção, pelo país, de armamentos nucleares. "Nós devemos aumentar a pressão por meio de sanções" porque o Irã não fez nenhuma concessão durante as negociações sobre seu programa nuclear nos últimos meses. Os comentários foram feitos um dia após um encontro dos ministros de Relações Exteriores europeus em Luxemburgo, no qual sanções adicionais foram discutidas.

AE, Agência Estado

14 de outubro de 2012 | 08h50

As declarações representam uma indicação clara de que a Alemanha está buscando medidas mais rígidas, embora Westerwelle tenha enfatizado que o grupo de nações que negocia com o Irã - os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), além da Alemanha - continue comprometido com uma solução política. Os Estados Unidos e seus aliados acusam o Irã de manter o desenvolvido escondido de armamentos nucleares, mas o Irã nega as acusações. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
IrãsançõesAlemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.