Umit Bektas/Reuters
Umit Bektas/Reuters

Alemanha trabalha para evitar reforma constitucional na Turquia, diz ministro

Chanceler turco diz que cancelamento de manifestação em cidade alemã é fruto de 'Estado oculto'; prefeito de Gaggenau rebate e alega ameaça a bomba

O Estado de S.Paulo

03 de março de 2017 | 05h17

ANCARA - O Ministro das Relações Exteriores da Turquia, Mevlut Cavusoglu, afirmou nesta sexta-feira, 3, que há forças dentro da Alemanha que estão trabalhando para evitar que os turcos votem "sim" no plebiscito constitucional que pode aumentar o poder do presidente Recep Tayyip Erdogan.

Cavusoglu fez o comentário um dia depois de autoridades da cidade alemã de Gaggenau proibir uma manifestação a favor da revisão constitucional da qual participaria o ministro da Justiça da Turquia, Bekir Bozdag.

A Turquia convocou o embaixador da Alemanha em Ancara, Martin Erdmann, em protesto a essa proibição. O prefeito de Gaggenau, Michael Pfeiffer, alegou que a manifestação foi cancelada por causa de uma ameaça a bomba.

O chanceler turco afirmou, no entanto, que a suposta tentativa de interferir no plebiscito turco se tornou uma prática sistemática do "Estado oculto alemão". "Este estado oculto trabalha em favor do não para evitar uma Turquia forte", disse. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.