Alemanha vê com ceticismo possível missão de paz da ONU em Gaza

Steinmeier viajou ao Oriente Médio em missão mediadora para reivindicar às partes envolvidas no conflito

EFE,

10 de janeiro de 2009 | 06h34

O ministro de Assuntos Exteriores alemão, Frank Walter Steinmeier, olha com ceticismo a possibilidade de que as Nações Unidas acordem uma missão de paz com os capacetes azuis para acabar com o conflito na Faixa de Gaza. "Todos que sabem como é complicada a situação na Faixa de Gaza questionarão a possibilidade de uma missão assim", afirma Steinmeier, em declaração publicada pelo jornal "Passauer Neuen Presse". Steinmeier viajou, nesta sexta-feira, ao Oriente Médio em missão mediadora para reivindicar às partes envolvidas no conflito o cumprimento da última resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas, que exige um imediato cessar-fogo. Para o chefe da diplomacia alemã, uma missão de observadores internacionais só pode ter sucesso "se todas as partes envolvidas a aceitarem e se comprometerem de maneira vinculativa a renunciar à violência". "Só então se poderia cogitar a possibilidade de uma participação alemã. Tenha certeza, responderíamos então de uma maneira responsável", afirma o ministro. Steinmeier deve se reunir, neste sábado, no Cairo com o presidente egípcio, Hosni Mubarak, assim como com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, na Cisjordânia. No próximo domingo, viajará a Israel, onde deve encontrar a chanceler de Israel, Tzipi Livni, e o presidente israelense, Shimon Peres.

Tudo o que sabemos sobre:
gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.