AFP PHOTO / APA / DIETMAR MATHIS
AFP PHOTO / APA / DIETMAR MATHIS

Alemão de 60 anos esfaqueia três pessoas em trem na Áustria e é detido

Agressor estava em aparente estado de confusão mental, o que exclui qualquer motivação política ou religiosa, segundo o diretor da Polícia local

O Estado de S.Paulo

16 Agosto 2016 | 11h37

VIENA - Três pessoas ficaram feridas depois de serem esfaqueadas por um homem enquanto viajavam em um trem nas proximidades do Estado federado de Vorarlberg, no extremo oeste da Áustria, em uma ação aparentemente sem motivação política ou religiosa.

O provável autor, um alemão de 60 anos e em aparente estado de confusão mental, foi detido. Dois feridos foram levados em estado grave a uma clínica próxima, segundo a emissora pública austríaca ORF. O terceiro ferido foi um passageiro que conseguiu deter o agressor e entregá-lo à Polícia.

O episódio aconteceu, segundo a Polícia local, por volta das 6h30 locais (1h30 em Brasília) em um trem que se dirigia à capital provincial de Bregenz, perto da fronteira com a Suíça. O criminoso foi detido na estação de Sulz.

O diretor da Polícia regional de Vorarlberg, Hans-Peter Ludescher, explicou em uma entrevista coletiva que o detido levava documentos que indicam que ele sofre de "graves problemas psíquicos". Segundo Ludescher, as autoridades austríacas receberam informações da Alemanha que confirmam as suspeitas, indicou a agência de notícias APA.

A agressão aconteceu "por um transtorno mental", o que exclui qualquer motivação política ou religiosa, disse o diretor da Polícia.

O portal de notícias VOL informou que houve uma briga entre duas pessoas a bordo do trem. Um homem de 19 anos, sentado em frente ao suposto agressor, teria sofrido uma apunhalada no estômago e outra nas costas, enquanto um jovem de 17 anos teria sido ferido no pescoço. Outro passageiro, um homem de 22 anos, sofreu um corte na mão na tentativa de conter o agressor junto aos agentes da Polícia, que fizeram uso de gás pimenta. / EFE

Mais conteúdo sobre:
Áustriaataque armado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.