Alemão declarou na internet que faria ataque em escola

O adolescente de 17 anos que atacou ontem a escola onde havia estudado e matou 15 pessoas, antes de tirar a própria vida, fez uma advertência sobre seus atos numa sala de bate-papo na internet horas antes. Ele disse que estava "cansado desta vida", disseram policiais hoje. O suspeito, cujo nome aparece como Tim Kretschmer em documentos policiais, disse a outras pessoas na sala de bate-papo que planejava atacar sua escola, disse o ministro do Interior do Estado de Baden Wuerttemburg, Heribert Rech.Rech disse que o suspeito escreveu "vocês vão ouvir falar de mim amanhã, lembrem-se do nome de um lugar chamado Winnenden", disse ele. Na primeira indicação do que pode ter sido um motivo para os disparos, Rech disse que o jovem disse às demais pessoas da sala de bate-papo, em alemão, que "todos riem de mim, ninguém reconhece meu potencial". "Estou falando sério. Tenho uma arma aqui", teria escrito o adolescente. "Logo cedo, amanhã, eu irei até minha escola". O jovem encerrou o bate-papo dizendo "não digam nada para a polícia agora, não se preocupem. Estou apenas importunando vocês". Um homem da Baviera contou à polícia sobre a conversa depois do ataque em Winnenden. Ele disse às autoridades que seu filho de 17 anos contou a ele sobre o que ocorrera na sala de bate-papo depois de ver as notícias e que não havia considerado a ameaça com seriedade. O investigador Siegfried Mahler disse que as autoridades souberam que o suspeito foi tratado de depressão em 2008, tendo passado por cinco visitas ao psiquiatra entre abril e setembro numa clínica da região. Ele deveria ter continuado o tratamento em outra clínica, mas aparentemente não apareceu às consultas, disse Mahler.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.