Mike Meadows/AP
Mike Meadows/AP

Alemão é detido por suspeita de estar envolvido com incêndios em Los Angeles

Harry Burkhart, de 24 anos, foi identificado em imagens de câmeras de segurança

Associated Press

03 de janeiro de 2012 | 15h05

LOS ANGELES - A polícia de Los Angeles deteve nesta terça-feira, 3, um alemão suspeito de estar ligado às dezenas de ataques incendiários ocorridos na cidade contra carros e garagens no final de semana do ano novo, informaram as autoridades. O suspeito não tem direito a fiança.

 

Harry Burkhart, de 24 anos, disse aos oficiais que é de Frankfurt. A polícia não sabe por quanto tempo ele está nos Estados Unidos. Ele foi detido devido às semelhanças com o homem identificado em imagens de câmeras de segurança localizadas próximas de alguns dos locais dos ataques. Os policiais, porém, não descartam o envolvimento de outras pessoas nos casos.

 

Mais de 50 focos de incêndio foram registrados na região de Hollywood e no vale de São Fernando, causando aproximadamente US$ 3 milhões em danos. Desde a detenção do alemão, os bombeiros não foram acionados para cuidar de nenhum outro incêndio. A polícia não comentou a motivação dos ataques.

 

"Estamos confiantes com esta prisão, mas ainda temos um longo caminho a percorrer", disse Charlie Beck, chefe da polícia, que disse ter recebido informações das autoridades federais sobre Burkhart, após ele ter sido reconhecido em um vídeo. O Ministério de Exteriores da Alemanha já encontrou em contato com o seu consulado em Los Angeles para tratar do caso.

 

A maioria dos incêndios registrados afetou carros e alguns acabaram se espalhando para garagens e outras estruturas. As chamas chegaram a fazer com que algumas pessoas deixassem suas casas temporariamente, mas não deixaram feridos graves - apenas um bombeiro caiu de uma escada em um dos trabalhos para controlar o fogo e uma pessoa inalou uma pequena quantidade de fumaça. 

Tudo o que sabemos sobre:
EUALos Angelesincêndio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.