REUTERS/Abdalrhman Ismail
REUTERS/Abdalrhman Ismail

Alepo e regiões próximas registram novos bombardeios

Ações deixaram um número indeterminado de feridos, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos; Exército sírio conseguiu retomar o controle do acampamento de refugiados palestinos em Handarat

O Estado de S.Paulo

29 de setembro de 2016 | 10h37

BEIRUTE - Novos bombardeios foram registrados nesta quinta-feira, 29, na cidade de Alepo, a maior do norte da Síria, e em outras localidades próximas, e deixaram um número indeterminado de feridos, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

Helicópteros militares lançaram barris com explosivos no bairro de Al Misir, enquanto aviões de combate não identificados bombardearam o distrito de Qadi Askar, onde várias pessoas ficaram feridas e foram registrados danos a alguns edifícios, de acordo com o OSDH.

Os dois lugares atingidos ficam na parte oriental de Alepo, que está sitiada pelo Exército sírio e em poder da oposição.

O OSDH destacou que os ataques aéreos atingiram a única padaria que havia em Andam, mas indicou que quase não há civis nesta cidade em razão dos contínuos bombardeios e disparos de artilharias, já que ali fica uma frente de guerra entre os efetivos governamentais e os insurgentes.

Handarat, Projeto 1070 e Al Ramusa também constituem frentes de batalha em Alepo.

Há uma semana, as forças armadas sírias, com o apoio da força aérea russa, retomaram a ofensiva contra os insurgentes em Alepo, onde intensificaram os bombardeios nos últimos dias.

Retomada. O Exército sírio retomou nesta quinta-feira o controle do acampamento de refugiados palestinos em Handarat, situado em uma área estratégica no acesso a Alepo, informou o OSDH. Os soldados, que contaram com apoio da brigada palestina de Al Quds, assumiram o domínio do local apenas quatro dias depois que facções armadas rebeldes e islâmicas tomaram seu controle.

Os combates ainda continuam nas imediações do campo de refugiados, onde há bombardeios e o regime utiliza sua artilharia.

Até o momento, os veículos de imprensa oficiais sírios não confirmaram o avanço do Exército.

Com a conquista, as forças armadas sírias ampliam as áreas sob seu poder no norte de Alepo para apertar o cerco em torno dos bairros do leste da cidade, que estão nas mãos da oposição. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaGuerra CivilRebeldesBomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.