Alerta de tsunami é cancelado no Chile

Ainda há risco de ondas provocadas por terremotos atingirem o Havaí, diz centro dos EUA

O Estado de S. Paulo,

02 de abril de 2014 | 08h43

 WASHINGTON -  Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos (NOAA, sigla em inglês) suspendeu na madrugada desta quarta-feira, 2,  o alerta de tsunami emitido para Chile, Peru e outros países com litoral no Oceano Pacífico, mas mantém um aviso para o Havaí, depois do terremoto de magnitude 8,2 ter atingido o norte do Chile na noite de ontem.

Ao menos seis pessoas morreram e 900 mil foram retiradas de áreas de risco após o terremoto. Por meio de sua conta no Twitter, a presidente Dilma Rousseff ofereceu ajuda e prestou solidariedade ao país.

"Com base nos dados disponíveis não é esperado um grande tsunami no Estado do Havaí. No entanto, o nível do mar está mudando e podem ocorrer fortes correntes ao longo do litoral que podem ser perigosas para nadadores e embarcações, assim como para as pessoas que estejam próximas do mar", informou a NOAA em seu site.

A agência americana tinha emitido após o terremoto no Chile um alerta de tsunami para Chile, Peru e Equador, assim como um aviso para Colômbia, Panamá, Costa Rica, Nicarágua e El Salvador.

As equipes do Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS, sigla em inglês) mediram em um primeiro momento o tremor com magnitude 8 na escala Richter, mas depois aumentaram para 8,2 e vão emitir boletins a cada hora para explicar o desenvolvimento do alerta. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Chileterremoto no Chiletsunami

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.