Alerta nos EUA foi baseado em dados velhos, dizem jornais

Reportagens de dois dos principais jornais dos Estados Unidos, o ?Washington Post? e o ?New York Times?, afirmam que as algumas das informações de inteligência que levaram à elevação do nível de alerta no país têm no mínimo três anos.O governo de George W. Bush disse que grande parte das informações que levaram ao alerta foi obtida a partir de interrogatórios com um membro importante da rede Al-Qaeda, que teria sido preso na semana passada no Paquistão.No entanto, representantes do governo paquistanês teriam minimizado a importância dessas informações.Para o governo do Paquistão, os dados não fornecem provas suficientes de que existe o risco iminente de um ataque terrorista.11 de setembroSegundo os jornais americanos, boa parte dos dados que teriam baseado as fortes medidas de segurança tomadas pela administração Bush seria de antes dos atentados de 11 de setembro de 2001. Os dois diários dizem ainda que, mesmo dentro dos serviços de inteligência nos Estados Unidos, há quem duvide de que a Al-Qaeda ainda esteja rondando instituições financeiras no país para planejar novos ataques.No entanto, o governo americano argumenta que mesmo informações com mais de três anos ainda justificariam a enorme operação de segurança montada no país. O governo Bush diz que obteve outras informações que indicam a intenção da Al-Qaeda de lançar um novo ataque contra os Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.