'Alex' pode se transformar em um furacão no Golfo do Mexico

Segundo meteorologistas forte tempestade pode virar fenômeno em até 48 horas

Efe,

28 de junho de 2010 | 05h54

MIAMI - A depressão tropical 'Alex' se transformou novamente em uma tempestade ao chegar no Golfo do México e poderá se transformar em um furacão nas próximas 48 horas, informa nesta segunda-feira, 28, os meteorologistas dos Estados Unidos.

Os ventos máximos sustentados aumentaram para 75 km por hora, com rajadas superiores, de acordo com o Centro Nacional de Furacões (CNH, em inglês), com sede em Miami.

"É previsto um fortalecimento adicional e 'Alex' pode se tornar um furacão", previu o CNH. Uma tempestade se converte a um furacão quando os ventos máximos se sustentam a 119 quilômetros por hora.

"Alex", a primeira tempestade da temporada 2010 no Atlântico, deixou ao menos nove mortos durante sua passagem na América Central: cinco na Nicarágua, dois na Guatemala e outros dois em El Salvador.

O centro da tempestade estava localizado a 100 km ao oeste-sudoeste de Campeche e a 755 km ao leste-sudeste de Tampico, no México.

A previsão do CNH diz que Alex se transformará em um furacão sobre as águas quentes do Golfo do México, que são um 'combustivel' para o fortalecimento de sistemas tropicais.

"Cobrará força porque a temperatura da água está suficiente quente na zona. Há possibilidades de que em 48 horas se converta a um furacão mínimo (de categoria um na escala Saffir-Simpson de um máximo de cinco), diz Félix Garcia, meteorologista do CNH.

É possível que 'Alex' não chegue a alcançar um acategoria maior (entre 3,4 a 5) porque "não tem a distância e nem o tempo suficiente", acrescenta.

As previsões de cinco dias do CNH destacam que "Alex", convertido em um furacão, chegaria em terras mexicanas na próxima quinta.

Garcia declarou que "Alex" se dirigiu para a área do Golfo do México, onde a empresa BP tenta impedir o derramento de petróleo.

"Os modelos meteorológicos indicam que o sistema vai passar a oeste-noroeste, mas agora está se movento mais para oeste. É possível que algumas bandas de chuva se movam por essa área, mas não que a depressão tropical se moverá diretamente para a zona", informa o especialista.

Ele explicou que os "ventos da camada média da atmosfera estão empurrando o sistema para o oeste do Golfo do México".

O Centro Nacional de Furacões adverte que a tempestade levará as chuvas na Península de Yucatan, no sul Guatemala e do México até terça-feira e pode causar deslizamentos de terra e inundações. Chuvas fortes também afetarão o litoral de Tamaulipas e Veracruz, México entre terça e quarta-feira.

"Alex" se movia para oeste-noroeste a 11 quilômetros por horas.A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) previu para a temporada de furacões no Atlântico, que começou a 01 de junho e acaba 30 de novembro, a formação de 14 a 23 tempestades e entre 8 e 14 furacões, que seriam descarregados nos Estados Unidos, Caribe, América Central e no Golfo do México.

Meteorologistas previram que uma temporada extremamente ativo ", porque que os furacões entre 3 e 7 pode ser de grande intensidade com ventos de mais de 177 km por hora.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.