Aliado de Cristina usa bênção papal

Aprovação de Francisco vira arma política

O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2013 | 05h47

Centenas de muros da capital argentina e dos municípios de sua região metropolitana foram cobertos ontem com imagens do papa Francisco - portenho do bairro de Flores - apertando a mão de Martín Insaurralde, o prefeito da cidade de Lomas de Zamora, cabeça da lista dos candidatos a deputado do kirchnerismo na Província de Buenos Aires, que concentra praticamente 40% do eleitorado argentino.

A exibição do cartaz com Insaurralde - que era pouco conhecido da opinião pública - provocou polêmica na reta final da campanha para as eleições primárias do dia 11. Nessa data - com voto obrigatório para todos os eleitores -, os argentinos irão às urnas definir os candidatos ao Senado e à Câmara de Deputados que participarão das eleições de outubro.

A foto do candidato com o pontífice foi o principal motivo para que a presidente Cristina Kirchner levasse Insaurralde no avião presidencial para assistir à missa papal no domingo, em Copacabana. "Insaurralde me pediu para ir no avião", explicou a presidente, alegando que seu candidato era muito devoto, especialmente desde que havia se curado de um câncer há poucos anos. "Ele foi salvo por Deus e pela Virgem Maria", afirmou Cristina, dando um tom religioso à campanha eleitoral.

Cristina escolheu Insaurralde para liderar a lista na falta de outros candidatos fortes (em 2009, o próprio Néstor Kirchner, que morreu em 2010, liderou a lista de deputados). No entanto, Insaurralde é desconhecido do grande público. Por isso, Cristina precisava "turbinar" a imagem de seu candidato. / A.P.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.