Aliado nega que Saddam negocia exílio

Um aliado do presidente do Iraque, Saddam Hussein, classificou como absurdas as especulações de que o ditador estaria negociando exílio com países simpatizantes ao seu governo. "É um absurdo", afirmou Ali Hassan al-Majeed, membro do Conselho de Comando Revolucionários e primo de Saddam. "Essa é uma técnica psicológica e, se você perguntar a uma criança no Iraque, ela vai dizer que não acredita nessa informação". afirmou Majeed, que realiza um tour regional e se encontrou com o presidente da Síria, Bashar al-Assad, para entregar uma mensagem de Saddam, segundo uma agência de notícias síria. A agência não deu detalhes sobre o conteúdo da mensagem. Em encontros com líderes da Argélia, Tunísia e Marrocos, na semana passada, o vice-primeiro-ministro do Iraque, Tareq Aziz, afirmou que Saddam defenderá o Iraque até a última bala. O governo sírio negou que daria abrigo a Saddam se ele for forçado a fugir do Iraque. "A Síria não discutirá uma oferta de refúgio para Saddam", afirmou ontem o vice-presidente sírio, Abdel-Halim Khaddam, durante visita a Moscou. A Síria, que participou da coalizão que tirou as forças iraquianas do Kuwait em 1991, reaproximou-se de Bagdá nos últimos anos e vem se opondo a uma nova ação dos EUA contra o Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.