Aliados de Chávez tentam obstruir posse de governadores opositores

Aliados do presidente venezuelano, Hugo Chávez, estão tomando uma série de medidas para dificultar o início da gestão dos governadores e prefeitos opositores, eleitos na votação do dia 23. Até hoje, César Pérez Vivas, governador eleito do Estado de Táchira, ainda não conseguiu assumir o cargo porque o Legislativo local, dominado por aliados do presidente, nega-se a convocar a sessão da Casa em que Vivas deveria prestar juramento. No Estado de Carabobo, um Parlamento de maioria chavista também se negou a realizar a cerimônia de posse do novo governador, o opositor Henrique Salas. A alternativa encontrada por Salas foi ser juramentado por um juiz, mas três dias mais tarde o magistrado foi afastado do cargo. Salas só pôde assumir depois de chegar de surpresa a uma sessão do Legislativo e negociar muito com os deputados governistas. A essas dificuldades somam-se as tentativas de esvaziar prefeituras e governos Estaduais. Nas últimas semanas, decretos passaram o controle de escolas, hospitais e do sistema de transporte público da prefeitura de Caracas e do Estado de Miranda para ministérios e órgãos ligados ao governo central.O prefeito opositor de Caracas, Antonio Ledesma, perdeu ain o controle da emissora de televisão municipal, a TV Ávila.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.