Aliados de Putin acusam Berezovsky por morte de espião

Políticos e redes de televisão ligados ao Kremlin acusaram um proeminente inimigo de Putin na Inglaterra, o magnata Boris Berezovsky, da morte do ex-espião da KGB Alexander Litvinenko, embora a mensagem do ex-agente tenha acusado o presidente russo Vladimir Putin por seu envenenamento. Políticos aliados ao governo abraçaram a sugestão de um alto auxiliar de Putin de que a morte de Litvinenko, em um jornal de Londres nesta quinta-feira, era parte de uma trama contra a administração russa e alegaram que Berezovsky, um ácido crítico de Putin cujo asilo na Inglaterra irritou Moscou, estava por traz do envenenamento. "A morte de Litvinenko, para a Rússia, para os serviços de segurança, não significa nada", disse na sexta-feira, 24, Valery Dyatlenko, vice-presidente do comitê de segurança da Câmara, ao canal estatal Channel One, salientando que nem o Kremlin nem as agências de inteligência do país teriam motivos para matá-lo. "Eu acho que este é outro jogo de Berezovsky". Berezovsky fez sua fortuna em duvidosos acordos de privatização durante o colapso soviético em 11 e tornou-se protegido do Kremlin sob o mandato de Boris Yeltsin, mas perdeu seu favoritismo com Putin e fugiu para a Inglaterra em 2000 a fim de evitar uma investigação por lavagem de dinheiro, a qual, segundo ele, tinha motivos políticos. Entre os negócios do magnata russo estão investimentos em clubes de futebol, como por exemplo a parceria Corinthians com a MSI.

Agencia Estado,

25 Novembro 2006 | 12h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.