Aliança do Norte dá ultimato em Kunduz

Na esperança de evitar um derramamento de sangue, a Aliança do Norte deu hoje um ultimato para que as forças do Taleban e da Al Qaeda instaladas em Kunduz se rendam nos próximos três dias, caso contrário a oposição atacará a cidade. O porta-voz da Aliança Attiq Ullah disse que combatentes da Al Qaeda, rede terrorista chefiada por Osama bin Laden, estão impedindo que o Taleban entregue Kunduz para a oposição, que agora controla a maior parte do Afeganistão. "Se houver um confronto em Kunduz, ele será sangrento pois existem milhares de combatentes estrangeiros e eles não têm nenhum lugar para fugir", disse Ullah. Boa parte dos soldados da Al Qaeda em Kunduz são árabes, chechenos e paquistaneses. Comandantes da Aliança do Norte têm negociado a rendição por meio de rádios. Mas moradores que conseguiram escapar de Kunduz disseram que os combatentes do Taleban e da Al Qaeda não vão se entregar tão facilmente. De acordo com os fugitivos, os soldados na cidade dizem: "Nós seremos mártires. Nós não vamos deixar Kunduz". O fugitivo Ahmed Wahid afirmou que veículos de combate foram cobertos com lama, numa tentativa de enganar os caças americanos que atacam a cidade. Além disso, os combatentes estão dormindo em escritórios de agências de ajuda humanitária para escapar do fogo inimigo. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.