Aliança islâmica ameaça Paquistão com guerra civil

Uma poderosa aliança de partidos islâmicos advertiu hoje o presidente paquistanês, general Pervez Musharraf, que a cooperação com os Estados Unidos na busca ao milionário saudita Osama bin Laden poderá afundar o país numa guerra civil. "O exército paquistanês será alvo da ira do povo e de seu ódio se o governo militar permitir a entrada no país de tropas americanas para atacarem nosso vizinho islâmico", disse Maulana Samiul Haq, dirigente do Conselho de Defesa do Afeganistão. "A chegada de soldados americanos ao Paquistão poderia desestabilizar o país e afundá-lo numa guerra civil como na Argélia".O conselho, que agrupa 35 organizações religiosas e militantes do Paquistão, foi estabelecido há vários meses para apoiar o Taleban, a milícia governista afegã, depois que as Nações Unidas impuseram em janeiro sanções ao país para forçar a entrega de Bin Laden. Os Estados Unidos já buscavam Bin Laden em conexão com os atentados a bomba de 1998 contra embaixadas americanas na África Oriental.A aliança convocou para sexta-feira uma greve geral nacional e pretende promover manifestações de protesto. "Continuaremos com nossos protestos até que o governo mude sua decisão", disse Haq. "E se nossos irmãos afegãos anunciarem a guerra santa contra os EUA, também seremos obrigados a anunciar a guerra santa".Em Peshawar, uma cidade paquistanesa nas proximidades da fronteira com o Afeganistão, milhares de pessoas saíram às ruas gritando slogans pró-Taleban e queimando bandeiras dos EUA. "Vocês combaterão na jihad (guerra santa) se a América atacar o Afeganistão? " perguntou por alto-falante o líder do protesto Mulana Abdul Malik. "Sim!", respondeu a multidão. "Vocês obedecerão o chamado do (líder afegão) mulá Omar?" questionou. "Sim! Sim!"As lojas foram fechadas durante a passagem dos manifestantes pelas ruas, muitos com porretes e agitando cartazes. "Esmaguem a América!" lia-se num deles. "Osama é o herói do Islã", estava escrito em outro. A polícia paquistanesa prendeu hoje várias pessoas por participarem de manifestações contra os EUA. Muitos partidos islâmicos são favoráveis ao Taleban e desejam estabelecer no Paquistão um governo islâmico similar ao do Afeganistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.