Allende se matou, confirma equipe de especialistas

Um juiz do Chile fechou nesta quinta-feira o caso sobre a morte do presidente Salvador Allende, após uma autópsia ter confirmado que ele se matou em 1973. O painel internacional de médicos legistas e especialistas em balística, chefiado pelo juiz Mario Carroza, determinou que Allende tirou a própria vida com um fuzil AK-47, quando defendia o palácio presidencial chileno do golpe de Estado comandado pelo general Augusto Pinochet.

AE, Agência Estado

29 de dezembro de 2011 | 20h31

Carroza descartou a possibilidade de que um soldado ou um guarda-costas tenham feito os disparos fatais em Allende. Ele também descartou uma série de outras versões que envolvem a morte de Allende, há 38 anos.

Allende estava entre as 726 pessoas que foram mortas ou desapareceram quando Pinochet deflagrou o golpe de Estado em 1973 e tomou o poder. As circunstâncias das mortes ou desaparecimentos das 726 pessoas foram levadas aos tribunais do Chile e são estudadas por Carroza, sob ordens da Suprema Corte do Chile.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.