AP Photo/Jacquelyn Martin, File
AP Photo/Jacquelyn Martin, File

Almagro condena o ataque em Orlando e envia condolências às vítimas

Secretário-geral da Organização dos Estados Americanos lamentou o massacre que deixou 50 mortos e ao menos 53 feridos em uma casa noturna frequentada pelo público LGBT

O Estado de S. Paulo

12 Junho 2016 | 17h09

SANTO DOMINGO - O secretário-geral da Organização dos Estados Americanos (OEA), Luis Almagro, condenou neste domingo, 12, o massacre ocorrido em uma casa noturna frequentada pelo público LGBT em Orlando, na Flórida, e enviou condolências aos parentes das vítimas. O ataque deixou 50 mortos e ao menos 53 feridos.

As declarações de Almagro foram dadas em entrevista coletiva realizada no Ministério de Relações Exteriores da República Dominicana, país onde será realizada a 46ª Assembleia Geral da OEA, de segunda a quarta-feira.

"Condenamos este tipo de ações. A violência deve ser erradicada nas Américas e nosso trabalho nesse sentido tem a ver com a dimensão de buscar soluções sociais para este tipo de problemas. A intolerância e a discriminação fazem parte do pior que um ser humano pode expressar", disse Almagro.

O secretário-geral da OEA manifestou sua "solidariedade" e "dor com as vítimas e seus parentes".

O massacre ocorrido em uma boate voltada para o público LGBT em Orlando nesta madrugada foi causado por um homem armado que tirou a vida de 50 pessoas. O número de vítimas ainda pode aumentar, pois alguns dos 53 feridos estão em "estado crítico", conforme informaram as autoridades americanas. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.