Alpinistas alemães reféns são soltos por rebeldes curdos

Três alemães capturados por rebeldes curdos durante uma expedição de alpinismo no Monte Ararat, na Turquia, há mais de uma semana, foram soltos em boas condições de saúde, informaram hoje as autoridades locais. Oficiais se recusaram a informar quando e onde os alpinistas foram soltos. O ministro das Relações Exteriores da Turquia, Ali Babacan, chamou a contraparte alemã, Frank-Walter Steinmeier, para que tomasse conhecimento sobre os alemães em custódia do governo turco.Em Berlim, Steinmeier confirmou a libertação dos reféns, mas não forneceu maiores detalhes. "Nossos agradecimentos vão para o governo turco e a segurança local, que desde o começo nos apoiaram em encontrar uma solução", disse. Os três homens foram capturados no dia 8 de julho como um protesto dos rebeldes curdos contra as sanções severas impostas pela Alemanha contra o grupo conhecido como Partido dos Trabalhadores Curdos (PKK).O PKK luta desde 1984 para que tenham regras próprias no sudeste da Turquia, em uma campanha que já deixou milhares de mortos. A Turquia, os Estados Unidos e a União Européia consideram o PKK uma organização terrorista. Na Alemanha, autoridades prenderam suspeitos de serem membros do PKK e baniram suporte econômico para uma estação de TV, que a Turquia diz ser máquina de propaganda do grupo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.