Alto dirigente da Al-Qaeda morre em bombardeio no Paquistão

Ataque de avião não-tripulado dos EUA matou Saleh al-Somali, responsável por planejar ataques da organização

estadao.com.br,

11 de dezembro de 2009 | 19h09

Um importante dirigente da rede terrorista Al-Qaeda foi morto no início da semana em um ataque aéreo no noroeste do Paquistão, anunciou um funcionário americano nesta sexta-feira, 11.

 

Saleh al-Somali, a vítima, era o responsável pelas ações terroristas do grupo fora da região que engloba o Paquistão e o Afeganistão. Fontes acreditam que o terrorista estaria envolvido no planejamento de atentados contra os EUA e a Europa.

 

O funcionário, que falou sob condição de anonimato, disse que al-Somali era parte da liderança da Al-Qaeda e tinha conexões com os líderes de outras organizações no Paquistão. Suas funções envolviam planejar ataques pedidos pelos superiores do grupo extremista, segundo a fonte.

 

Anteriormente, havia sido divulgado não oficialmente que a principal vítima do ataque era o número três da Al-Qaeda, Abu Yahya al-Libi, mas a informação não foi confirmada. O terrorista é um dos mais procurados desde que fugiu da prisão da Base Aérea de Bagram em 2005.

 

Ataques

 

Funcionários da inteligência confirmaram que o número de ataques de aviões não-tripulados no Paquistão, realizados pela Agência Central de Inteligência (CIA), cresceram no último ano.

 

Os ataques disseminaram um sentimento antiamericano no Paquistão devido às mortes de civis que causou. Desde janeiro de 2008, ao menos 67 ataques com mísseis americanos ocorreram no Paquistão, matando mais de 721 pessoas. Segundo a inteligência americana, ao menos 56 era militantes extremistas.

 

(Com informações da Associated Press)

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoAl-QaedaataqueEUAterrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.