Alto funcionário da ONU queria retirar Karzai do poder, diz NYT

Peter Galbraith, então 2º no comando da entidade no Afeganistão, queria ajuda dos EUA para depor presidente

Agência Estado,

17 de dezembro de 2009 | 12h35

Um alto funcionário das Nações Unidas afirmou que seu ex-vice tentou buscar apoio dos EUA para forçar o presidente afegão, Hamid Karzai, a deixar o cargo. A informação foi divulgada nesta quinta-feira, 17, pelo jornal americano The New York Times.

 

Segundo o Times, Kai Eide, principal funcionário da ONU no Afeganistão, acusou seu vice norte-americano, Peter Galbraith, de tentar realizar "uma missão secreta em Washington", a fim de obter apoio para a queda de Karzai.

VEJA TAMBÉM:
especial Especial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão

 

Houve eleições no Afeganistão em agosto, manchadas por centenas de denúncias de fraudes. Conforme as alegações de fraude tornavam-se muito numerosas para passarem em branco, a ONU e nações do Ocidente começaram a perder as esperanças de que a votação desse ao governo afegão legitimidade.

 

Galbraith, que deixou o cargo abruptamente em setembro e foi demitido semanas depois, disse que foi forçado a sair do posto, após divergir de Eide sobre como lidar com a crise. Galbraith acusou seu ex-chefe de encobrir o nível das fraudes eleitorais.

 

Já o Times, citando uma carta escrita por Eide e entrevistas com funcionários dos EUA e da ONU, afirmou que os dois discordaram sobre o plano de Galbraith para substituir Karzai. Segundo a carta divulgada pelo Times, Eide afirmou que seu vice disse a ele que se encontraria com o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, para discutir a questão.

 

O Times afirmou que Galbraith buscava substituir Karzai, que favorece há tempos os governos ocidentais, ou por Ashraf Ghani, um ex-ministro das Finanças, ou por Ali Jalili, um ex-ministro do Interior.

 

Galbraith disse ao jornal que nunca desenvolveu uma proposta completa sobre o tema, nem sugeriu qualquer medida inconstitucional. Ele também negou que esse tenha sido o motivo para a demissão.

 

Já Vijay Nambiar, chefe-de-gabinete do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que a proposta era conhecida. O fato de ela ter enfurecido Karzai foi "um dos vários motivos" para a demissão de Galbraith, na versão de Nambiar.

 

Aparentemente, o plano não foi apoiado em Washington. Uma porta-voz da embaixada norte-americana em Cabul afirmou que o plano foi rejeitado por um membro da equipe de Biden. Segundo essa fonte, o encontro entre o Galbraith e o vice-presidente nem chegou a ocorrer.

Tudo o que sabemos sobre:
KarzaiAfeganistãoONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.