Alto funcionário de ministério da China é condenado à morte por suborno

Guo Jingyi foi considerado culpado de ter aceitado valores de US$ 1,24 milhão

Efe,

21 Maio 2010 | 05h08

PEQUIM - Um alto cargo do Ministério de Comércio da China foi condenado à morte por aceitar subornos, alguns deles procedentes de empresas estrangeiras, informou nesta sexta-feira, 21, a agência oficial de notícias Xinhua.

Guo Jingyi, chefe de inspetores do Ministério, recebeu a sentença em um tribunal da capital chinesa, que também confiscou suas propriedades e retirou seus direitos políticos.

A condenação, no entanto, foi ditada com dois anos de suspensão, o que significa que a pena poderia ser comutada à prisão perpétua após esse tempo caso o réu tenha boa conduta.

Guo, de 44 anos, foi considerado culpado de ter aceitado subornos no valor de 8,44 milhões de iuanes (cerca de US$ 1,24 milhões).

O condenado começou a trabalhar na instituição estatal em 1986, quando a pasta ainda era chamada de Ministério de Comércio Exterior e Cooperação Econômica, e ocupou vários cargos importantes, como o de subdiretor do departamento de tratados e leis ou o de "número dois" do birô de pesquisas antimonopólio.

Segundo os juízes, Guo se aproveitou de seus diferentes cargos entre 1998 e 2007 para aceitar dinheiro em troca da aprovação de mudanças nos direitos de acionistas de certas empresas, assim como fusões e aquisições de companhias estrangeiras.

A nota oficial não detalhou quais empresas do exterior subornaram o funcionário para obter lucro no mercado chinês.

Mais conteúdo sobre:
suborno, morte, China, crime

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.