Wong Maye/AP
Wong Maye/AP

Aluna e professora são resgatadas vivas 40 horas após tremor

Governo estima que até 3 mil pessoas possam estar sob os escombros; escavadoras foram enviadas de avião à ilha

Associated Press,

02 de outubro de 2009 | 10h13

Equipes de emergência resgataram com vida nesta sexta-feira, 2, uma jovem e uma professora que estavam presas nos escombros de uma escola, aproximadamente 40 horas após o terremoto que devastou o oeste da Indonésia. No mesmo instante, podiam ser ouvidos em outro local pedidos de ajuda de pessoas presas sob um hotel destruído.

 

A estudante inglesa Ratna Kurniasari Virgo, 19, e a professora Susi Revika Wulan Sari estavam presas ao lado dos corpos de outros estudantes. "Ela estava consciente. Apenas suas pernas e dedos estavam presos, porque ela ficou espremida", disse a diretora da escola, Teresia Lianawaty, sobre Ratna. "Graças a Deus! Isso é um milagre", afirmou. "Ela está bem, consciente e fora de perigo", divulgou a enfermeira Nining Rosanti.

 

Dois dias depois que o abalo de magnitude 7.6 derrubou milhares de edifícios na ilha de Sumatra, o governo disse que até 3 mil pessoas poderiam estar presas sob os escombros. As equipes médicas tinham que lidar com dezenas de cadáveres e o odor dos corpos em decomposição impregnava o ar.

 

Mas o inesperado resgate das mulheres revigorou a busca por mais sobreviventes em Sumatra, uma ilha densamente povoada da empobrecida nação, onde os desastres naturais são comuns.

 

Médicos, enfermeiros, caos farejadores e escavadoras foram transportados em aeronaves para Sumatra, já que a falta de máquinas pesadas tornou praticamente impossível levantar grandes pedaços de concreto de edifícios derrubados.

 

Com comunicações e eletricidade ainda fora de serviço em muitas áreas, o combustível está sendo racionado para o esforço de localização de milhares de desaparecidos.

 

"O equipamento pesado e as equipes de resgate são nossa prioridade", disse Priyadi Kardono, porta-voz da agência nacional de atenção a desastres. "Devemos fornecer a eles acesso total para que possam chegar rapidamente às vítimas", afirmou.

 

Vinte e oito toneladas de mantimentos, incluindo água, medicamentos e provisões básicas chegaram por via aérea à ilha para serem distribuídos entre os necessitados. Algumas das milhares de pessoas desabrigadas receberam barracas de acampamento. Familiares de vítimas já realizam esforços para preparar funerais coletivos em igrejas locais.

 

A Rússia enviou carregamentos de mantimentos, junto com médicos e enfermeiros para que atendam feridos graves, além de cães treinados para auxiliar na busca de quem possa estar com vida sob os escombros.

 

Quem também doou milhões de dólares em mantimentos e ajuda financeira foram os governos e órgãos civis da Austrália, China, Alemanha, Japão, União Europeia, Malásia, Cingapura, Suíça e Estados Unidos, disseram funcionários indonésios.

 

A área mais afetada pelo terremoto foi a capital de Sumatra Ocidental, Padang, uma cidade com 900 mil habitantes onde já foram recuperados pelo menos 376 corpos.

Tudo o que sabemos sobre:
terremotoindonésiaresgateadolescente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.