Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Aluno expulso invadiu escola na Alemanha por "vingança"

Depois de cinco horas de grande tensão,a polícia alemã conseguiu convencer nesta sexta-feira um adolescentearmado que invadira um colégio de Waiblingen, perto de Stuttgart(sudoeste do país), a libertar seus reféns e entregar sua arma emunições sem derramamento de sangue. Ex-aluno de 16 anos que dissera a colegas estar planejando"uma vingança" por ter sido expulso da Friedensschule (Escolada Paz), o jovem, armado de pistola e farta munição, invadiu asala de aulas de computação e tomou como reféns quatro alunos euma professora. Entrou imediatamente em contato com asautoridades policiais de Waiblingen por telefone celular eexigiu em troca da libertação de todos 1 milhão de euros (cercade US$ 980 mil) e um automóvel para fugir.Pizza antes de se entregar Mais de 120 agentes e atiradores de elite cercaram e isolaramo edifício, iniciando-se exaustiva negociação. O jovem começoulibertando dois alunos reféns. Uma hora depois ele deixou osoutros dois saírem. Ele teria dito aos reféns para que semantivessem calmos a fim de evitar o pior. "Antes de seentregar, pediu uma pizza, sendo imediatamente atendido",ressaltou um porta-voz da polícia, Uwe Bieler, que classificou oex-aluno de muito tranqüilo. "Achamos que não cometeria umamatança", concluiu, numa referência à tragédia de Erfurt, opior massacre do pós-guerra na Alemanha, ocorrido em 26 deabril. Robert Steinhauser, um ex-estudante de 19 anos, invadiuum colégio e assassinou a tiros 16 pessoas - 12 professores, 2estudantes, uma secretária e 1 policial -, suicidando-se emseguida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.